DIÁRIO DE UM FEITICEIRO

Iniciação na Tradição de Quimbanda

11/6/2020: INICIAÇÃO NA TRADIÇÃO DE QUIMBANDA

A Cova de Cipriano Feiticeiro - Terreiro de Quimbanda do Exu Pantera Negra apresenta um casal de Exu e Pombagira nascidos em nossa casa: Sr. Exu Sete da Lira e Sra. Pombagira Maria Padilha das Almas.

   Nosso noviço iniciante passou pela cerimônia de iniciação na Quimbanda no dia 11 de junho de 2020. Por conta da natureza de seu trabalho, sua identidade não será revelada. Abaixo algumas fotos do ritual.

GBERE: A MARCAÇÃO INICIÁTICA

Uma das etapas da iniciação é o Gbere, a marcação iniciática no corpo que confere a Mão de Corte e a Mão de Oráculo. No curso da marcação iniciática o adepto realiza o Pacto com o Diabo, quer dizer, ele coleta o sangue secretado das fissuras e o coloca no assentamento de seu Exu Tutelar.

O Ritual de Iniciação na Quimbanda é a porta de entrada de um longo processo, uma jornada de desbravação dos Reinos e Povos de Exus e Pombagiras. A partir da iniciação o adepto e seu Exu Tutelar iniciam uma profunda relação de alquimia espiritual que o leva do discipulado a maestria de si mesmo e da vida. Um Mestre de Quimbanda é também um Mestre da Vida. Qualquer um que se denomina Mestre de Quimbanda e ainda não é mestre da vida, em realidade, não é Mestre de Quimbanda. O Exu dota seu adepto com a virtude da maestria.

FERNANDO DE LIGÓRIO

Fernando de Ligório é um hermetista praticante, escritor interessado em Teurgia Neoplatônica, Tradição Salomônica e dos Grimórios, Magia na Antiguidade, Cabala Crioula (Quimbanda), Feitiçaria, Bruxaria e Magia Negra (Caminho da Mão esquerda), Filosofia, Yoga, Tantra, Āyurveda e Xamanismo. Fernando de Ligório se interessa em preservar a Tradição Ocidental de Mistérios (ou Tradição Oculta da Magia) através de seus cursos, palestras, assessoria espiritual e consultas.

CONTATO

Se deseja entrar em contato , me envie um e-mail:

srikulacara@gmail.com

RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES
  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social
  • Facebook ícone social

© 2019 por Fernando de Ligório.